Frederico Morais despede-se de CT em Rottnest Island


Frederico Morais despediu-se, esta madrugada, do Rip Curl Rottnest Search, quinta etapa do circuito mundial da WSL, fechando a participação na perna australiana com um 17.º posto. O surfista português foi eliminado pelo taitiano Michel Bourez na ronda 3 da prova que se disputou numa pequena ilha ao largo de Perth, no Oeste australiano.

Com a prova a retomar no sistema de “overlaping heats” Kikas estava inserido no heat 7, apresentando-se como top seed. Apesar do favoritismo, Frederico acabou por entrar na água numa altura complicada do dia em Strickland Bay, acabando por ser mais derrotado pelo mar do que pelo próprio adversário.

Numa bateria de 44 minutos, mas com muito poucas ondas razoáveis, Bourez acabou por aproveitar as poucas oportunidades que existiram nos primeiros minutos do duelo, conseguindo um total de 12,84 pontos. Mais paciente e na expectativa, Kikas acabou por ficar mais ativo na reta final do heat, mas ondas nem vê-las, com o português a terminar com um score de apenas 7,50 pontos.

Um desfecho inglório para Frederico Morais, que nos minutos finais se mostrou visivelmente frustrado com o resultado. Este foi o sexto embate entre Kikas e Michel Bourez, com o taitiano a levar a melhor pela quarta vez. Para Bourez, um dos surfistas mais experientes do Tour, este foi um triunfo que lhe deu algum fôlego, depois de um início de época tremido.

Dessa forma, Frederico despediu-se de prova com um 17.º posto, que vai causar uma descida no ranking, onde era 10.º colocado à partida para esta etapa. O surfista de Cascais repetiu, assim, a posição alcançada na etapa inaugural, no Havai, e fez o pior registo nas quatro etapas disputadas na Austrália, onde já tinha um 3.º posto e dois nonos lugares.

Agora, terminada que está a perna australiana, Frederico Morais aponta já baterias à participação nos ISA World Surfing Games de El Salvador, que se realizam dentro de uma semana e onde vão estar em jogo as últimas vagas para os Jogos Olímpicos. Kikas vai fazer parte da equipa portuguesa que tenta alcançar mais lugares em Tóquio, depois de Frederico já ter conseguido uma vaga nos últimos Mundiais, em 2019.

Quanto ao circuito mundial, a ação regressa de 18 a 20 de junho, com o Surf Ranch Pro, etapa disputada na famosa piscina de ondas artificiais construída por Kelly Slater. xxx

Previous Seleção Nacional confiante para mundial em El Salvador
Next 10 anos de Reserva Mundial de Surf