Seleção Nacional mantém “olhos nas finais”


“Um dia atípico”, é como João Aranha, presidente da Federação Portuguesa de Surf e líder da comitiva portuguesa no Mundial ISA, descreve o quarto dia da competição que decorre até sábado em Huntington Beach, Califórnia.

Antecipava-se uma jornada complicada para as cores nacionais e as previsões confirmaram-se através da passagem às repescagens de Frederico Morais e Francisca Veselko, ambos na ronda 3.

No caso de Frederico Morais, o português protagonizou uma excelente exibição naquele que foi, provavelmente, o heat mais renhido do dia, com os ex-CT Miguel Pupo e Leonardo Fioravanti a colocarem forte oposição ao surfista nacional, tendo o brasileiro vencido o heat e o italiano Fioravanti conseguido suplantar Kikas nos últimos momentos.

Para Francisca Veselko, não ajudou o facto de ter disputado uma bateria com a colega de Seleção Yolanda Hopkins e nunca se encontrou com o seu melhor surf. Acabou em quarto, enquanto Yolanda passou em segundo, atrás da ex-campeã mundial júnior Rachel Presti, alemã residente nos EUA.

Contratempos que não impediram de celebrar os sucessos de Teresa Bonvalot e Guilherme Fonseca, ambos a seguir fortes no percurso de qualificação. Teresa venceu o seu heat da ronda 4, enquanto Guilherme já carimbou presença na ronda 5. Ou seja, ambos a dois heats da final.

No balanço da jornada, João Aranha assegura que a equipa estava preparada para as adversidades e mantém o foco: “Foi um dia atípico, mas para o qual estávamos preparados. O Frederico foi arredado para as repescagens num heat com algumas particularidades, mas, essencialmente, muito bem disputado e com excelente surf. E tanto no caso dele como no do Guilherme, e agora também da Francisca [Veselko], reiteramos a confiança que chegarão às finais. O nosso objetivo continua a ser esse: sempre com os olhos nas finais e nas vagas olímpicas.” xxx

Previous Portugal ultrapassa primeiro teste no Mundial ISA
Next Trio nacional impecável em dia de repescagens no Mundial ISA