Surfar ou não surfar? Eis a questão 


As novas medidas restritivas de combate à pandemia da semana passada vieram lançar a confusão entre a comunidade do surf. Afinal de contas, pode-se ou não surfar? 

O que se passa, na realidade, é que algumas Autarquias, de norte a sul do país, estão a vedar o acesso da população às praias, à frente marítima, e quem teime em não cumprir esta ordem está em transgressão, sujeitando-se a coimas. 

Paredões, passadiços, calçadões e marginais estão fechados, proibidos ao público… em algumas zonas do país.  

A Câmara Municipal de Cascais, por exemplo, vedou o acesso ao paredão da Linha, nomeadamente em zonas específicas como Cascais-São João Estoril e em Carcavelos, proibindo qualquer acesso e permanência na praia, enquanto durar o Estado de Emergência. Isto inclui a prática de qualquer desporto (Surf incluído), seja no areal ou no mar, e vai do Guincho a Carcavelos. 

Na margem sul, as praias da Costa de Caparica e o seu respetivo extenso paredão também foram interditas à permanência de pessoas ou passeios à beira-mar. No entanto, a prática de surf vai-se verificando em praias não tão frequentadas. 

A norte, em Matosinhos, o paredão também foi interdito, mas a prática de surf é possível desde que as pessoas se desloquem a pé, residam a uma distância de até 500 metros da praia, levem o equipamento já vestido e a atividade seja de curta duração. Se solicitado, também terão que comprovar a morada de residência. 

Quem não cumpra estes requisitos terá que pagar a respetiva dolorosa (multa) que começa na marca dos 200 euros. 

Na prática, após as novas medidas de 22 de janeiro, o Governo passou a responsabilidade (batata quente) para os Municípios que têm agora autonomia para fazer a gestão desta questão a seu belo prazer. 

Portanto, se podes ou não surfar? A resposta é um “nim”. Ninguém sabe bem, depende muito do município onde resides e de como este está a optar por atuar nesta situação. xxx


Nota: Obviamente que este texto só faz sentido para quem reside perto da costa. Quem tiver que pegar no carro e percorrer várias dezenas de quilómetros para chegar à praia já sabe de antemão que não o pode fazer. O Estado de Emergência decreta confinamento e o exercício físico terá que ser feito na sua zona de residência.

Previous A estreia Olímpica terá que esperar 
Next Dream Run